15.12

2013

Prêmio Empreendedor Social divulga vencedores da edição de 2014

Postado por

Aconteceu no última semana a 10a edição do Prêmio Empreendedor Social, iniciativa promovida pelo jornal Folha de S. Paulo desde 2005 em parceria com a Fundação Schwab. A premiação é considerada um dos mais importantes esforços no Brasil para reconhecer cidadãos que apostam em ideias ligadas ao empreendedorismo socioambiental.

Em linhas gerais, o objetivo do Prêmio Empreendedor Social é selecionar, premiar e fomentar alguns dos líderes socioambientais mais empreendedores do Brasil – que atuam em diferentes campos, em organizações de diferentes portes, nas mais diversas regiões do país. As práticas inscritas devem ser inovadoras, sustentáveis e com comprovado impacto socioambiental.

Além de ajudar a projetar esses empreendedores em no cenário nacional (e até global), a Folha de São Paulo e a Fundação Schwab oferecem um alto nível de qualificação e networking, viabilizando aos premiados acessarem novos patamares – em termos de impacto, gestão e sustentabilidade – para suas iniciativas.

Na edição de 2014, três experiências chamaram a atenção e levaram os prêmios em diferentes categorias. O evento aconteceu no Museu de Arte de São Paulo (MASP) e teve transmissão online gratuita oferecida pelo portal UOL.

 

Educação e tecnologia

O grande vencedor dessa edição é uma start-up voltada para a área da educação. Capitaneada por ex-profissionais do mercado financeiro – Claudio Sassaki e Eduardo Bontempo –, a  Geekie surgiu em 2011 com a missão de oferecer aprendizado adaptativo para todos.

Os dois empreendedores investiram na ideia as economias que juntaram ao longo de carreiras de sucesso. Assim, lançaram essa plataforma inspirada na Khan Academy, uma tecnologia que funciona como um professor particular para o aluno, capaz de identificar nele pontos fortes, aptidões e dificuldades. “Cada um aprende de um jeito diferente e a educação precisa se adaptar a isso. Por isso criamos a Geekie”, comentou Sassaki ao jornal Folha de S. Paulo.

Integrando uma série de tecnologias, a Geekie consegue “ler” quais são as maiores dificuldades do estudante – erros em determinada área da matemática, por exemplo – e sugerir exercícios e conteúdos sobre o tema. Dessa forma personalizada, o software vai criando um plano de estudos personalizado para cada aluno.

Já em 2011, conseguiram introduzir o software em sete escolas para testar sua usabilidade. Contudo, Sassaki e Bontempo queriam dar um salto em escala e levar a Geekie a um grande número de estudantes da rede publica. Foi então que, a partir da chancela do Ministério da Educação (MEC) e de muito esforço dos próprios empreendedores, a iniciativa chegou a 500 escolas brasileiras e atingiu 3,1 milhões de estudantes.

 

Jovens empreendedores

O Prêmio Folha Empreendedor Social de Futuro foi criado exclusivamente pela Folha de S. Paulo, em 2009, para revelar empreendedores socioambientais inovadores, entre 18 e 35 anos de idade, em um dos momentos mais críticos de qualquer organização: o período entre um e três anos de existência. Dessa forma, é preciso que a iniciativa tenha se mostrado efetiva na prática.

Em 2014, quem levou o prêmio foram três empreendedores de Alagoas que criaram o Hand Talk. Ronaldo Tenório, Thadeu Luz e Carlos Wanderlan, desenvolveram, em 2013, um aplicativo gratuito para celulares capaz de traduzir o português oral e escrito para a Libras (língua brasileira de sinais).

A utilização do Hand Talk é muito simples. Basta o usuário ter um aparelho conectado à internet e digitar até 140 caracteres ou falar algo no microfone do celular. Um personagem chamado Hugo transforma a mensagem em recado na língua dos surdos no país. Em pouco mais de um ano no mercado, o Hand Talk atingiu a marca de 180 mil downloads. Agora, a ideia do trio é levar a tecnologia para outros países.

 

Fundação Pró-Rim também é homenageada

Na categoria “Escolha do Leitor”, o grande vencedor foi o médico catarinense Hercilio Alexandre da Luz Filho, criador da Fundação Pró-Rim. Ele teve 47% dos 64.204 votos dos leitores da Folha e do UOL durante os 17 dias em que a enquete esteve no ar.

“O mais importante do prêmio é que nos dará muita visibilidade e novos conhecimentos com a Rede Folha de Empreendedores Socioambientais”, disse Hercílio ao jornal. O empreendedor é formado em medicina pela Universidade Federal de Santa Catarina e, desde 1987, atua em prol de pacientes com doenças renais sem recursos para o tratamento.

Depois de 27 anos de sua criação, a Pró-Rim se tornou a maior entidade filantrópica na área de nefrologia no Brasil. Sem fins lucrativos, o hospital atende pessoas de todo o Brasil com tratamento multidisciplinar e de alta qualidade em hemodiálise, diálise peritoneal e transplantes. A organização faz mais de 56 mil atendimentos ambulatoriais e 150 mil hemodiálises anualmente. A entidade já fez mais de 1.200 transplantes renais.

O processo de seleção

Os vencedores do Prêmio Empreendedor Social e Empreendedor Social de Futuro foram escolhidos por um júri composto por Hilde Schwab, presidente do conselho da Fundação Schwab; Maria Cristina Frias, jornalista, MBA em finanças e colunista da Folha; Cybele Oliveira, vencedora do Prêmio Empreendedor Social; José Vicente, advogado e reitor da Faculdade Zumbi dos Palmares; Antonio Moraes Neto, administrador, sócio e cofundador da Vox Capital; William Ling, empresário e diretor do Instituto Ling; e Anna Maria Peliano, socióloga, especialista em pobreza e pesquisadora do Ipea. Juntos, eles avaliaram critérios como perfil, inovação, sustentabilidade e impacto social.

Fonte: Folhapress

Compartilhe:
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter