16.10

2013

Mês da Criança é oportunidade para ações de marketing relacionado a causas

Postado por

O marketing relacionado a causas une uma ação de mercado a uma iniciativa social, por meio de parcerias comerciais entre empresas e organizações da sociedade civil em prol de uma causa. Com essa prática, empresas apoiam causas, ajudando a divulgá-las e mobilizar recursos, ao mesmo tempo em que engaja seus consumidores a comprar seus produtos e serviços. Um exemplo é a campanha Tok Seu Coração, promovida pela Tok&Stok, rede de lojas de artigos para decoração presente em vários estados do Brasil.

Não basta colocar os produtos à venda. É preciso também envolver os vendedores e os consumidores em torno da causa. “Nossas lojas se preparam para esses momentos, deixando os produtos em evidência”, diz a gerente de comunicação e marketing de relacionamentos da Tok&Stok, Flávia Lucena. “Além de levar mais alegria e conforto para o dia a dia das pessoas assistidas, reforçamos a postura de empresa socialmente responsável, contribuindo para a vida do brasileiro”, acrescenta Flávia.

Dicas
Ainda que a prática esteja restrita a um grupo pequeno de empresas do varejo e de consumo no Brasil, há iniciativas de MRC bastante consolidadas, envolvendo diversos temas e estratégias. A Avon é um exemplo de empresa que adotou a ferramenta há 10 anos, quando criou o instituto para gerir sua ação social. “Antes, tínhamos uma atuação pulverizada, em diversos campos: dávamos um cheque e nossa atuação acabava ali”, conta o diretor-executivo do Instituto Avon, Lírio Cipriani.

O Instituto se aproveita de sua enorme estrutura de logística e vendas para disseminar os assuntos sociais de interesse. “Nós temos a força da gestão da empresa, temos 1,5 milhão de revendedoras que atingem, com sua atividade comercial, cerca de 50 milhões de mulheres”, enumera Cipriani.

Fazer marketing relacionado à causa requer, segundo ele, uma estrutura muito bem desenhada. “Precisa ter muito claro qual é a sua causa e encontrar um canal de comunicação com potenciais apoiadores dessa causa”.

O  Projeto Velho Amigo, uma organização de apoio a idosos, buscou parcerias e aliou-se à seguradora Mapfre. “Eles apoiam a causa do idoso em várias frentes e fazem trabalho com produto também, pois são a única empresa a ter um seguro-viagem especial para esse público”, explica a vice-presidente da organização, Regina Helou.

Uma das sugestões de Helou para quem pretende estabelecer este tipo de parceria – sobretudo quando a organização lida com temas pouco conhecidos – é “fazer glamour em cima da causa”. “Organizávamos eventos de gastronomia e design para o público AA e, assim, atraíamos empresas e apresentávamos nossa iniciativa para elas”, conta Regina.

Desafios
O Velho Amigo também teve dificuldade de criar parcerias. O problema estava na própria temática. “As empresas apoiam mais projetos ligados a crianças e adolescentes, ao futuro, mesmo que pessoalmente os executivos vivam a questão do idoso dentro da própria casa”, afirma Regina.

A Avon criou um instituto próprio para fazer suas ações, mas teve igualmente problemas com as temáticas delicadas que escolheu. “A maior dificuldade foi quebrar o tabu de falar a palavra ‘câncer’, que era dita baixinho ou recorrendo-se a outros termos”, conta Cipriani. Ele ainda acrescenta que “a violência doméstica é uma epidemia muito protegida, ninguém gosta de dizer que há esse problema em casa”.

O planejamento antes de implantar suas ações de marketing relacionado a causas também não impediu que o Instituto Lojas Renner encontrasse dificuldades no caminho. “A maior parte da nossa campanha acontece nos pontos de venda, e, por causa da mudança de funcionários, todo ano eu tenho de treinar em torno de quatro em cada dez. Eu sempre tenho de fazer um esforço muito grande de explicar para o novo colaborador o que é a campanha, o que a gente faz”, explicaJair Kievel, Diretor Executivo do Instituto Lojas Renner.

Fonte: IDIS

Compartilhe:
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter