09.12

2013

Brasil cai no ranking mundial de solidariedade

Postado por

Estudo britânico “World Giving Index 2013”, divulgado pelo IDIS, mostra que o país passou do 83° para 91º lugar. Americanos são os mais propensos a ajudar desconhecidos

O dia 3 dezembro foi lembrado como o Dia Mundial da Doação. Mas o Brasil não tem muito o que comemorar. O país caiu oito posições, passando de 83° para 91º no ranking mundial de solidariedade, o que o classifica como a nação menos generosa da América do Sul, ao lado da Venezuela. A Colômbia, por sua vez, é o país mais solidário na região, seguido por Chile – 31° e 35° lugar, respectivamente.

Os dados fazem parte do “World Giving Index 2013 – Uma visão global das tendências de doação”, estudo encomendado pela organização britânica Charities Aid Foundation – CAF (https://www.cafonline.org/) ao instituto de pesquisa Gallup World Pool e divulgado no Brasil pelo Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social – IDIS (www.idis.org.br).

O levantamento é considerado o mais abrangente do mundo no que diz respeito à doação. Para tanto, foram ouvidas 155 mil pessoas em 135 países (dados coletados em 2012), considerando três indicadores de doação: o percentual de pessoas que, em um mês típico, doam dinheiro para organizações sociais; realizam atividade voluntária; ou ajudam desconhecidos.

Sobre o Brasil, o World Giving Index 2013 revela que 23% dos brasileiros afirmaram ter doado dinheiro para organizações sociais, o que representa queda de 1% em relação ao ano anterior, e que 42% ajudaram desconhecidos, 2% a menos do que o registrado no relatório de 2012. Nos últimos anos o Brasil tem despencado rapidamente no ranking, caindo de 54º para 91º desde 2009. Quanto ao gênero mais benevolente, as mulheres saem na frente: 26% delas doam dinheiro, contra 20% dos homens, e 15% fazem trabalho voluntário, contra 11% deles.

Para Paula Fabiani, diretora-executiva do IDIS, o fato de a proporção de brasileiros que doam dinheiro não ter crescido nos últimos cinco anos é preocupante e requer medidas urgentes. Paula comenta que um dos motivos para esse resultado pode estar na falta de confiança dos brasileiros nas organizações da sociedade civil. “Existe no nosso País grande desconfiança em relação ao Terceiro Setor, causada principalmente pelos escândalos envolvendo transferências irregulares de recursos a organizações sociais. Isso tem afetado negativamente a vontade das pessoas em ajudar o próximo. O governo e o Terceiro Setor precisam trabalhar juntos para reconstruírem essa credibilidade e permitir que as pessoas sintam segurança de que suas doações serão de fato destinadas a causas sociais.”

Fabiani também acredita que, com a realização do maior evento esportivo do mundo no próximo ano no Brasil, o voluntariado ganhe destaque no País. “Com a Copa do Mundo em 2014 acontecendo aqui, vejo uma ponta de esperança no aumento significativo do número de brasileiros engajados em trabalhos voluntários, como aconteceu com as Olimpíadas na Inglaterra. Será uma grande oportunidade para que a comunidade se una e para que o mundo conheça um País hospitaleiro e solidário.”

O relatório completo encontra-se disponível, no idioma inglês, no linkwww.idis.org.br/biblioteca/pesquisas/worldgivingindex2013_report.pdf.

Fonte: IDIS

Compartilhe:
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter